Com autoria de Julio Cesar e relatoria de Amaro Neto PL aumenta oportunidade de empregos para mulheres

WhatsApp Image 2019-10-31 at 16.34.03O deputado Amaro Neto (Republicanos-ES) acredita que facilitar o acesso feminino ao mercado de trabalho reduz a desigualdade e movimenta a economia. Por isso, ele apresentou parecer favorável ao Projeto de Lei 1514/2019, que estabelece o percentual mínimo de 20% de mulheres nos quadros de vigilantes em empresas de segurança privada. A proposta é do deputado Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF) e foi aprovada na última quinta-feira (30) pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (Cdeics).

Amaro Neto reconhece que no segmento dos vigilantes há uma tradicional restrição ao acesso de mulheres pela falsa ideia de fragilidade e despreparo para a atividade. “Não há nada, no entanto, que indique qualquer desvantagem do sexo feminino para atuar no setor”, defendeu. Além disso, complementa o parlamentar, do ponto de vista econômico, “a proposta não implica em qualquer custo adicional aos empresários”.

O autor do projeto, Julio Cesar Ribeiro, observa que a segurança privada e de vigilância é um dos maiores e mais lucrativos segmentos da economia do país. No entanto, ainda se percebe que esse segmento está atrelado à figura masculina. “Persiste na atividade uma hierarquia de gênero, avaliando que a presença feminina pode fragilizar alguns postos de trabalho”, disse.

O republicano observou que as mulheres são a maioria dos desempregados nas diversas regiões brasileiras. “O esforço deve ser contínuo, pois não podemos permitir que qualquer espécie de discriminação ainda possa ocorrer nos dias de hoje”, finalizou Julio Cesar.

A matéria segue para votação da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados.

Texto: Fernanda Cunha com edição de Mônica Donato – Ascom da Liderança do Republicanos
Fotomontagem: Thifany Batista

Comentário(s)

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.