Em jantar do Brics, Marcos Pereira defende reformas no Brasil

Deputado Marcos Pereira; Foto: Divulgação

Com a experiência de ter participado como ministro brasileiro de duas edições da reunião de cúpula do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), uma vez na Índia e outra na China, o deputado Marcos Pereira (Republicanos-SP) afirmou nesta noite (12), durante jantar de ‘boas-vindas’ do evento no País, que começa amanhã, que o Brasil está empenhado em realizar reformas profundas a fim de melhorar a competitividade das empresas e atrair novos investimentos estrangeiros.

Os chefes dos cinco países emergentes que compõem o grupo devem avançar na discussão da criação de um banco de desenvolvimento para financiar projetos econômicos e sociais. Os presidentes da China, Xi Jinping, e África do Sul, Cyril Ramaphosa, já estão no Brasil. O primeiro ministro da Índia, Narendra Modi, chegará às 5h e o presidente da Rússia, Vladmir Putin, desembarcará no Brasil às 11h da manhã desta quarta-feira, quando começa oficialmente o encontro.

O jantar foi promovido pela Frente Parlamentar do Brics, do Congresso Nacional, e reuniu, além de deputados, senadores e outras autoridades, empresários e investidores nacionais e internacionais. Marcos Pereira defendeu a pauta de reformas estruturantes que está sendo tocada no parlamento e a busca por mais segurança jurídica. “Esse interesse não é apenas dos países dos Brics, mas de todos que querem investir aqui”, afirmou.

O deputado, que foi ministro da Indústria e Comércio Exterior, ressaltou também a importância do Brics para o Brasil e para o Mercosul, uma vez que o País exerce liderança no bloco. “Tive a honra de participar das edições de 2016, em Goa (Índia), e em 2017 em Xiamen (China)”, lembrou. Marcos Pereira também liderou a delegação brasileira nos encontros de ministros de comércio, que são preparatórios para a cúpula.

Sobre o Brics

O BRICS é o agrupamento formado por cinco grandes países emergentes – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – que, juntos, representam cerca de 42% da população, 23% do PIB, 30% do território e 18% do comércio mundial.

O acrônimo BRIC foi cunhado em 2001 pelo banco de investimentos Goldman Sachs, para indicar as potências emergentes que formariam, com os Estados Unidos, as cinco maiores economias do mundo no século XXI. Em 2006, os países do BRIC deram início ao diálogo que, desde 2009, tem lugar nos encontros anuais de chefes de Estado e de Governo. Em 2011, com o ingresso da África do Sul, o BRICS alcançou sua composição definitiva, incorporando um país do continente africano.

Desde o início de seu diálogo, os países do agrupamento buscaram estabelecer governança internacional mais condigna com seus interesses nacionais, por meio, por exemplo, da reforma de cotas do Fundo Monetário Internacional, que passou a incluir, pela primeira vez, Brasil, Rússia, Índia e China entre os maiores cotistas.

Texto: Ascom do deputado Marcos Pereira
Foto: Divulgação

Comentário(s)

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.