Projeto cria central para facilitar entrada de jovens no mercado de trabalho

Aline GurgelVocê possui qualificação profissional? A pergunta é recorrente quando os jovens vão em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho. Pensado nisso, a deputada Aline Gurgel (Republicanos-AP), em parceria com os deputados Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF) e Zé Vitor, apresentou o Projeto de Lei nº 4306/19 que cria a Central do Jovem Trabalhador Inovador (CJTI) para oferecer qualificação e vagas de trabalho para este público.

A proposta da criação da CJTI, segundo Aline, surgiu de suas andanças por regiões ribeirinhas do Amapá, quando mães de jovens lhe pediram para criar um meio de oportunizar vagas de emprego para seus filhos. Atenta a estes anseios, a republicana idealizou a CJTI, que contará com banco de dados para compartilhamento, entre órgãos de todas as esferas administrativas (União, estados, Distrito Federal e municípios), das informações dos jovens que se inscreverem para cursos ou vagas de emprego.

O projeto altera o Estatuto da Juventude para permitir que os jovens possam ser atendidos pela CJTI, que funcionará como um instrumento de colocação e de capacitação profissional. O objetivo, segundo Aline, é melhorar a empregabilidade dos jovens e combater o desemprego nessa faixa etária.

“É um anseio de toda juventude do país fazer parte do mercado de trabalho e a CJTI será uma plataforma para capacitar, oferecer curso a distância para tirar aquilo de dizer que jovem não tem experiência. Queremos além de tudo, que os jovens estejam aptos para assumirem uma ocupação de acordo com a sua qualificação e o que nós estamos propondo é exatamente isso, a criação de oportunidades, pois eles farão parte de um banco de dados de jovens talentosos para que empresas, indústrias, governo e municípios possam acessar este banco e dê oportunidades a estes jovens”, explicou Aline Gurgel no Republicanos em Pauta desta semana.

De acordo com Aline Gurgel, dos cerca de 13 milhões de trabalhadores sem emprego e sem trabalho no país, 32% têm entre 18 e 24 anos de idade. “Sem experiência profissional, os jovens não têm chance de disputar a vaga de emprego, nem de empreender, isso sem falar da baixa escolaridade de muitos que dificulta tanto a colocação no mercado de trabalho, como o aproveitamento em cursos de qualificação profissional. Diante disso, sugerimos uma política pública de emprego e qualificação específica para essa população”, relatou Aline.

Tramitação

O projeto será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; Seguridade Social e Família; e Constituição e Justiça e de Cidadania.

Texto: Agência Republicana de Comunicação
Foto: Douglas Gomes

Comentário(s)

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.